Doença Celíaca: Uma alimentação sem glúten

Imagem: Fenacelbra.

Imagem: Fenacelbra.

Desde que a minha orientadora de projeto de pesquisa descobriu que era celíaca eu passei a me atentar as embalagens dos produtos em geral, especialmente dos chocolates, afinal, quem passou uma vida comendo chocolate como de repente abandonar este amor? Calma! Nada de pânico, nem tudo está perdido, há sim diversas opções de chocolates saborosos que não contém glúten. Depois descobri também que alguns leitores são portadores da doença.

Foto: Fenalcebra.

Foto: Fenalcebra.

Então vamos saber mais sobre a doença?

É uma doença autoimune, que afeta o intestino delgado interferindo diretamente na absorção de nutrientes essenciais ao organismo como carboidratos, gorduras, proteínas, vitaminas, sais minerais e água. Caracteriza-se pela intolerância permanente ao glúten em pessoas geneticamente predispostas. O único tratamento é a dieta isenta de glúten por toda a vida. Caso uma pessoa com doença celíaca consuma alimentos com glúten ou traços de glúten, isso vai provocar uma reação imunológica no intestino delgado, uma inflamação crônica que impede a absorção dos nutrientes. A doença celíaca pode se manifestar em crianças, adultos e idosos. Estudos internacionais apontam que 1% da população mundial é celíaca. Na última década aumentou no Brasil a consciência sobre a doença celíaca. Afeta em torno de 2 milhões de pessoas no Brasil, mas a maioria dessas pessoas ainda estão sem diagnóstico. (Federação Nacional das Associações de Celíacos no BrasilFenalcebra)

O tratamento consiste na eliminação definitiva de alimentos que contenham glúten (trigo, cevada e centeio). Essa medida provoca melhora clínica em dias ou semanas, mas as alterações visíveis nas biópsias do intestino delgado podem persistir meses ou anos.

É muito importante corrigir as deficiências de vitaminas e sais minerais e avaliar a densidade dos ossos, a presença de anemia e de déficits de crescimento.

A aderência disciplinada a dietas com restrição de glúten não é tarefa simples, porque ele está presente na maioria dos alimentos industrializados. Os que não o contém são mais caros e difíceis de achar. Países como Holanda, Itália, Inglaterra, Suécia e Finlândia subsidiam sua produção.

Há anos, as associações que defendem os direitos dos portadores de doença celíaca cobram das autoridades, rigor no cumprimento da lei que obriga os fabricantes a estampar no rótulo dos alimentos a presença de glúten. Essa medida, ridiculamente simples, evitaria o sofrimento de milhares de pessoas. (Dráuzio Varella)

Visando ajudar as pessoas portadoras da doença que acompanham o blog criamos a categoria não contém glúten e esperamos trazer cada vez mais também opções de chocolates saborosos sem glúten.

Conheça a história da Duda do blog Sem glúten por favor de quando ela descobriu a doença e como resolveu transformar isso em algo lindo ao procurar ajudar outras pessoas a terem uma vida saborosa e feliz.

Dúvidas e sugestões? Escreva para: cafecomchocolateblog@gmail.com ou deixe o seu comentário.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s